Coringa | Crítica & Conversa

Olá, antes mesmo de iniciarmos o papo por aqui, gostaria de gentilmente lhe avisar, que caso não tenha visto o filme, esta postagem ...



Olá, antes mesmo de iniciarmos o papo por aqui, gostaria de gentilmente lhe avisar, que caso não tenha visto o filme, esta postagem pode incluir eventuais spoilers.


O filme do Coringa tem causado muita controvérsia na internet e também um pouco fora dela, no meu trabalho mesmo, tem pessoas que amaram e outras que odiaram... Como tudo ultimamente a polarização também chegou ao filme do Coringa, estrelado por Joaquim Phoenix.. Mas muito mais do que apenas um filme bom ou ruim, o filme do Coringa, traz conversas interessantes e muito relevantes.

Mas antes que possamos entrar no mérito das discussões levantadas pelo filme, quero comentar um pouco sobre o mesmo.

Coringa definitivamente não é o "vilão" clássico do Batman, com uma história inusitada, intenso, sombrio, cru, Coringa trouxe o vilão dos quadrinhos para uma atmosfera mais próxima a nossa.


Focado em mostrar uma origem ao personagem, o filme acompanha a vida de Arthur Fleck, antes de se tornar o "Joker"... o tempo de tela do personagem como Coringa mesmo, podemos dizer que é pouco, comparado ao seu "eu anterior"... Mas não se engane, isto me momento algum deixa o filme monótono, em momento algum ele te fazer ficar sem prestar, ficar "vidrado" na tela do cinema, acompanhando todos os acontecimentos é uma coisa que o filme com certeza irá te trazer.

Se você não assistiu o filme, isto é tudo que você precisa saber, acredite, quanto menos você souber, melhor será a sua experiência e se você já assistiu ao filme, sabe tanto quanto eu, como é complicado definir este filme em algumas palavras apenas.




Agora, vamos conversar sobre algumas questões que o filme nos mostra... Apesar de achar que sim, o filme pode vir a ser um gatilho a futuros e possíveis "incels", não concordo com as pessoas que afirma que ele deveria ser proibido, por não sabermos quem está assistindo... O primeiro motivo por discordar desta afirmação é de que "não devemos censurar a arte", pensando no que o outro poderá sentir, outro ponto é de que a obra não incentiva, se algo acabar acontecendo, muito provavelmente é por que ali foi somente o "estopim" para que acontecesse, poderia ser o filme, um novo ato de bullying, qualquer coisa... O que aconselho é para quem não esteja se sentindo bem não assistir o filme e se assistir e não se sentir bem, procure ajuda médica, ajuda capacitada, se cuidar, não é nada demais e todos precisamos aprender a presar pela nossa saúde mental, tanto quanto da nossa saúde física em geral.

Abaixo, alguns pontos do filme, que eu gostaria de comentar:

- "What is so Funny?" - A "troca" da frase, "Why so serious", para "O que é tão engraçado?", além de combinar com uma peculiaridade do personagem, nos faz pensar em algo que o filme nos mostra em diversos momentos... Além do senso de humor do personagem não ser o "padrão", a crítica também ao senso se humor "padrão" vem em diversos momentos, como durante e após uma cena crua de assassinato a maior parte do público ri, simplesmente por a cena ter a participação de um anão... Nessa hora, acredito ser justamente o filme nos "enfrentando" e fazendo pensar sobre o que é engraçado...

- Porquê ser tão cruel? - Arthur Fleck é uma pessoa que sofre de diversas formas, físicas, mentalmente e até socialmente... Ainda assim, ele tenta lutar contra tudo que "a vida bate nele"... No fim ele se torna sim o "vilão Coringa", mas o filme deixa com toda a certeza a discussão sobre a nossa sociedade e como muitas vezes ela é culpada sim pelo "surgimento de vilões"... É claro, que tudo que envolve sociedade, seres humanos, é uma discussão muito maior do que meras palavras, mas gostaria muito de saber qual a opinião de vocês sobre este ponto do filme...

- O estado não quer realmente ajudar - Nas cenas de conversa com sua psicologa, Arthur tenta dizer tudo que sente, pede por um tratamento e chega a deixar nas entrelinhas de que preferia estar internado para cuidar melhor da sua saúde mental, mas o mesmo não é ouvido, até mesmo na última consulta, onde a Psicologa precisa lhe dar a notícia que o programa teve a verba cortada e que ele ficará sem remédios e sem assistência... Infelizmente este tipo de coisa não acontece somente na ficção, além de muitos pacientes terem a assistência médica cortada por falta de verba, na realidade, muitos se quer conseguem... Uma coisa que muitos lugares possuem hoje em dia é a "ajuda psiquiátrica ou psicológica de baixo custo"... O problema é que muitas vezes este "baixo custo" não é o suficiente... Ainda mais em um país como o nosso, onde a maior parte dos brasileiros luta diariamente pelo "pão na mesa da manhã do dia seguinte"... Enfim, fica aqui mais uma questão que o filme aborda e que achei relevante citar.



O Coringa pessoalmente é um filme que como se diz "queria guardar em um potinho", amei a fotografia, a trilha sonora, o enredo e a atuação do Joaquim Phoenix... Intenso, cru, com pontos relevantes, daquele tipo de filme que não conseguimos descrever em apenas poucas palavras ou ficar sem conversar, cheio de camadas, tem todo potencial de virar um cult futuramente. Se você ainda não assistiu assista, pois vale muito a pena cada centavo gasto no cinema e se já assistiu, deixe nos comentários a sua opinião sobre o filme. Fique a vontade para acrescentar ou discordar de pontos desta postagem, porém lembrando sempre do respeito.

Se você se sente triste, sozinho, não sente valor em sua vida, se você sentir qualquer desconforto lendo esta postagem ou assistindo ao filme, não exite em procurar ajuda... Há pessoas especializadas que podem te ajudar, cuidar de si e ser feliz é o mais importante... Ligue para o Centro de valorização a vida 188... Ele é 24 horas por dia! 

Créditos das imagens utilizadas na postagem: Foto da capa (clique aqui), Foto 1 (clique aqui), Foto 2 (clique aqui), Foto 3 (clique aqui)


Você poderá gostar também de...

0 comentários

SIGA @graziglemos